quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Pelas Ruas: cão resgatado no Arroio Dilúvio é encaminhado a veterinários

Pelas Ruas: cão resgatado no Arroio Dilúvio é encaminhado a veterinários

Cachorro ficará em observação por quatro dias no centro de zoonoses da prefeitura

Atualizada às 12h44min

O cachorro que estava preso no Arroio Dilúvio, em Porto Alegre, foi resgatado na manhã desta quarta-feira pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado a veterinários da prefeitura. O animal estava há pelo menos três dias no local — entre a passarela da PUCRS e a Rua Professor Cristiano Fischer —, de acordo com Renato Crestani, 37 anos, que trabalha ali perto. O cachorro ficava sobre um banco de areia, andando para lá e para cá. Pulava na água e nadava para tentar escapar. Ao mesmo tempo, gania.

A equipe de bombeiros enviada à área do arroio recebeu o pedido de salvamento às 8h50min. Em sete minutos, segundo o comandante do grupo, soldado Julio Cesar Souza Nunes, o caminhão chegou ao local. Nunes e os soldados Rubens Marcelo Flores da Cruz (auxiliar) e Claudionor de Bastiani Fraga (motorista) entraram no arroio. No banco de areia, foram se aproximando aos poucos do cão.

— Ele estava muito estressado, tentou me morder duas vezes. Mas aí a gente vai conversando, se aproximando, fazendo carinho. Até que deu pra pegar ele — relatou Cruz, que ganhou a confiança do animal e o tomou nos braços.

O trabalho de retirada do cão levou entre 20 e 25 minutos. Magro, molhado e cansado, ele foi transportado até o centro de zoonoses da prefeitura da Capital, na Estrada Bérico Bernardes (em Viamão), onde passaria por exames. Aparentemente, não tinha machucados, segundo Nunes.

Experiência

Calejado por quase 20 anos de trabalho como bombeiro, o soldado Cruz se apoiou na experiência para conquistar a confiança do cão perdido em meio às águas do Dilúvio.

— Já passei por diversas situações. Uma vez, retiramos um cachorro de um bueiro na Avenida Bento Gonçalves. Isso acontece toda semana, com cães, cavalos. Eles caem ou são abandonados mesmo.

Clique para ver o vídeo do resgate:



Em observação

O cachorro resgatado ficará em observação por quatro dias no centro de zoonoses, conforme o chefe substituto do Núcleo de Vigilância de População Animal, Jessé Xavier de Oliveira. No caso de ter bebido água ou Dilúvio ou se alimentado ali, pode ter se contaminado. Ele receberá vacina antirrábica e contra vermes.

No final da manhã de hoje, o cachorro estava sendo alimentado com ração. Depois do período de isolamento, será colocado no canil, junto com cães do mesmo porte, e ficará disponível para adoção. Antes dos quatro dias de isolamento, é preciso pagar uma taxa de R$ 22,24 para adotar. Depois, é gratuito.

Interessados em levar o cachorro podem ligar para 3446-8500 ou 3446-7517. Na retirada, é preciso levar a carteira de identidade. O centro funciona das 9h30min às 11h30min e das 13h30min às 16h30min, de segunda-feira a sexta-feira. Quem encontrar algum animal na mesma situação do cão resgatado hoje deve ligar para os bombeiros, no número 193.

Nenhum comentário: