terça-feira, 11 de agosto de 2009

Shanty Li adotada!!!!!!!!!!!


Notícias maravilhosa da adotada Shanty Li,que graças a Deus, nem bem esquentou a casa da dinda, já foi por sorte do divino, pra uma casa maravilhosa!!!!!!!!! Beijos e curtam comigo as minhas lágrimas!!!!!!!!!

Sobre a Shanty - Ela já está correndo pela casa. Na semana que vem, assim que estiver liberada pela veterinária, vou ver se ela gosta de andar por uma praça bem calminha...

E no sábado mesmo já vou ver com a veterinária se ela pode tomar uma dose extra de vermífugo. Mas acho que ela está se alimentando bem... Eu estou dando umas duas porções por dia... Então, acho que está normal... Mas a veterinária verificará tudinho até sábado.

E seguem umas fotos em anexo.

No final de semana, quando tivermos mais tempo e com alguém para bater para nós, vamos ver se fazemos uma foto da família – o Fernando, a Shanty e eu juntos.

Beijocas,

Letícia Corrêa Pires

Jornalista - Mtb 11680

E por aqui a Shanty está maravilhosa!! Já está quase 100% soltinha... Hoje já pulou no sofá sozinha, já pediu e ganhou um pedacinho de carne de churrasco... Ontem, quando saímos e ela ficou em casa sozinha por algumas horas, fez “bagunça”. Ela roeu uma meia do Fernando e abriu uma sacola do super, que deixamos por apenas uns minutos enquanto estacionávamos, e comeu um pouco de queijo branco, “escondida” embaixo da mesa da sala... Já está bem safada, hehehehe...

Está melhorando da gripe e já tem consulta de retorno marcada na veterinária no próximo sábado. Acho que ficará super bem!

Hoje tirei rapidamente umas fotos no celular.

Em seguida, passarei para o computador e lhes envio, ok?

Beijos,

Letícia Corrêa Pires

Jornalista - Mtb 11680

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Rodrigo se foi, virou estrelinha!!!!!!!!!



O Rodrigo se foi, virou estrelinha dia 29 de abril de 2009, estupidamente assassinado por dois Akitas.Ele, que tanto queria um lar, e nunca teve, agora virou um anjo e se encontra aos pés de São Francisco.E nós, aqui, nos encontramos com a dor de sua perda.
Era um cãozinho pacato, feliz e que só pedia para ter seu cantinho.Mas enfim, é a natureza, é o mais forte prevalecendo o mais fraco.Que deus o tenha sempre ao seu lado, e que esta homenagem que eu presto ao meu querido Rodrigo chegue até ele, pois fui eu quem o recoheu aquele dia, lá no Zaffari Cavalhada com suspeita de facada, e gentilmente ele se deixou pegar no colo.Nunca, mas nunca vou esquecê-lo.
Vai com Deus meu querido Rodrigo!!!!!!!!!A mãe te ama!!!!!!!
Vera

quinta-feira, 26 de março de 2009

"Feliz aquele que transfere o que sabe, e aprende o que ensina."

"Feliz aquele que transfere o que sabe, e aprende o que ensina."
Cora Coralina

HISTÓRIA CURTA

Um velho cão com aparência de cansado entrou no meu pátio. Desejo lhes contar sobre ele, sua coleira, que tinha um lar e era bem cuidado.

Ele calmamente se aproximou de mim, pulou sobre o meu colo e lhe fiz uns afagos na cabeça. Então ele me seguiu para dentro de casa, cambaleando até o hall onde encontrou um canto e tirou uma soneca.

Uma hora depois acordou, procurou a porta de saída e se foi. No dia seguinte ele retornou, saudou-me no meu pátio, entrou no hall recomeçou a procurar seu cantinho e de novo dormiu por uma hora. Assim continuou por várias semanas.

Curioso, coloquei um bilhete na sua coleira: “Eu gostaria de encontrar quem é dono desse maravilhoso e meigo cão para perguntar porque sempre nos finais de tarde ele vem à minha casa para tirar uma soneca”.

No dia seguinte ele retornou, com um bilhete diferente do meu pendurado na coleira. Dizia:

“Ele mora numa casa com seis crianças – duas delas com menos de 3 anos de idade. Ele está tentando obter um tempo para dormir... Eu posso ir junto com ele amanhã?”

sábado, 21 de março de 2009

Felizardo foi adotado



Gente do bem
Mais uma vez venho a público dividir com vocês a alegria de uma vitória.
mais um adoção em menos de uma semana.Sim, desta vez foi a chance do Felizardo ter um lar!!!!!!!!!!!!!
Nesta sua nova casa ele terá 5 irmãs caninas, lindas, doces e super amorosas.E uma mãe humana, que além de ser super simpática, é atenciosa, centrada e leva uma vantagem, é veterinária.Quer lar melhor do que esse?
Feliz, como sua nova mãe o chama, logo desceu do carro e foi marcando seu território.Gostou das irmãs e da casa.Mas ainda estava meio ressabiado e enquanto estávamos conversando na cozinha, percebemos que ele havia sumido.Fui procurá-lo e quando o encontrei, estava sentado no banco da frente do carro de sua nova mãe.Caímos na risada!!!!!!!!!!Depois de mais uma trapalhada, ele caiu dentro da piscina, levou um susto e com isso temos a certeza que nunca mais vai colocar os "pezinhos" dentro, ele amou sua mãe humana, pois onde ela ia, ele ia atrás.
Saímos felizes, cansadas, mas com a certeza de mais uma vez ter feito a doação certeza.Vai dizer que o Felizardo não foi felizardo nesta?
Então, tá, mais uma missão cumprida.
Vera Snif Pet

quinta-feira, 19 de março de 2009

A diferença está só na cabeça dos humanos!!!!!!!!




Em viagem de ferias em São Francisco, nos EUA, o gaúcho Cláudio Creitchmann flagrou este surpreendente exemplo de convivência pacífica entre três espécies consideradas "inimigas", um rato, um gato e um cachorro.Um bom exemplo pra os seres humanos?

Cachorro come US$ 400, mas dona recupera dinheiro após passeio

19/03/2009 - 11h11
Cachorro come US$ 400, mas dona recupera dinheiro após passeio
da Associated Press, em Apex (Carolina do Norte)
O cachorro de uma família da Carolina do Norte (EUA) não comeu a lição de casa das crianças, mas se deliciou com o dinheiro da mamãe.
A terapeuta corporal Kelley Davis, 42, ganhou US$ 400 (R$ 900) com horas extras em seu trabalho. Ela pretendia depositar o dinheiro no banco, mas na última sexta-feira (13) percebeu que ele não estava mais em seu bolso.
AP
Augie comeu US$ 400 pertencentes à dona, que conseguiu recuperar parte do dinheiro após um "passeio digestivo" com o cão
Augie comeu US$ 400 pertencentes à dona, que conseguiu recuperar parte do dinheiro após um "passeio digestivo" com o cão

Kelley lembrou que deixou as notas no quarto. Como o dinheiro não estava mais lá, a terapeuta supôs que ele havia sido comido pelo cão da família, um boiadeiro suíço de dois anos chamado Augie.

A dona levou então o grandalhão para dar uma volta no dia seguinte. Não deu outra: o cão resolveu "usar o banheiro" e Kelley encontrou parte do dinheiro nas fezes. Ela identificou pedaços de três notas de US$ 100 e cinco notas de US$ 20, que foram lavadas.

Kelley espera juntar partes suficientes das notas maiores para poder trocá-las por notas novas no banco.

domingo, 15 de março de 2009

Carol, agora Kakau foi adotada


É com imensa alegria e muita satisfação que informo que hoje a Carol foi adotada!!!!!!!!!
Ela passa a se chama Kakau, segundo seu irmão humano, Chico.Vai morar numa casa maravilhosa com um pátio super grande, e terá três irmãos humanos, um canino o Spike que gostou muito dela e seus pais humanos.
Com certeza dará conta de ser feliz e fazer feliz seus novos donos.
Divido então com vocês, meus amigos, mais uma adoção alcançada.
Muito obrigada a todos que sempre me ajudam e torçem pra que tudo dê certo pra mim e pros meus bichinhos!!!!!!!!!!
Abraços,
Vera Snif Pet


quinta-feira, 12 de março de 2009

Centro espírita na Zona Norte de SP cuida de animais Tratamento espiritual, no entanto, não dispensa ida ao veterinário.

Centro espírita na Zona Norte de SP cuida de animais Tratamento espiritual, no entanto, não dispensa ida ao veterinário.

08/02/2009 - 10h35 (Outros - G1)
foto: G1

Qualquer animal pode ser submetido ao tratamento espiritual.


Donos de animais com fraturas, câncer ou que sofrem de ansiedade têm encontrado no centro espírita Vicente Cerverizo, na Vila Medeiros, na Zona Norte de São Paulo, uma ajuda para atravessar o momento difícil. O lugar é o único do Brasil que se tem notícia que oferece tratamento espiritual a animais de estimação. A afirmação é do veterinário Marcel Benedeti, presidente da Associação Espírita Amigos dos Animais (Asseama).

Segundo ele, quaisquer animais são passíveis de tratamento espírita "uma vez que todos são seres que merecem atenção. Não importa se são cães, gatos, aves, suínos, bovinos ou eqüinos", afirma Benedeti, que, apesar de ser veterinário, não mistura o trabalho do médico com o do espírita.

"Não é permitido tocar no assunto relacionado à medicina veterinária nem que alguém ali no trabalho é veterinário. Não lemos receitas e nem damos opiniões a respeito de tratamentos médicos que os animais recebem. Portanto, ali dentro, não existem veterinários e pacientes veterinários, mas apenas espíritos necessitados de auxílio", esclarece.

Benedeti conta que todos no grupo espírita são vegetarianos. Os donos dos animais são chamados de tutores. "Não chamamos de donos, pois acreditamos que os animais não são objetos para terem donos", justifica.

Em busca de quê

O perfil dos mascotes que são levados ao centro é bem parecido. Eles chegam lá depois de terem passado por diversos tratamentos "físicos" sem sucesso. "As pessoas recorrem ao tratamento espiritual como meio de aliviar o sofrimento dos animais", diz Benedeti, que costuma receber principalmente animais desenganados ou que foram recomendados para eutanásia. "É o último recurso", diz ele.

Os donos também têm algo em comum. "São pessoas sensíveis, que se preocupam com o bem-estar de seus animais", observa Benedeti, que complementa: "Não fazemos distinção entre tutores quanto à religião", diz. No local, são bem-vindos católicos, evangélicos, judeus, umbandistas e, naturalmente, os espíritas.

O veterinário Francisco Cavalcanti de Almeida, presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária, não vê problemas em o dono submeter o seu bichinho de estimação a um tratamento espiritual. O que não pode, afirma ele, é o animal deixar de ser levado ao veterinário.

"Para qualquer ser vivo, existe uma enfermidade e o seu tratamento médico específico. O veterinário é o profissional capacitado para detectar qualquer sintoma ou doença e até realizar a prevenção", afirma Almeida.

Animais desenganados

O aposentado Mário da Conceição, de 75 anos, conheceu o tratamento espiritual depois que encontrou na rua o setter irlandês Caramelo. "Levei ele para o veterinário, que constatou que Caramelo tinha problema no coração, no fígado, não enxergava e não ouvia direito e também não se firmava nas patas traseiras. Ele viveria por pouco tempo", relembra.

Por onde começar

Tutores que se interessaram pelo tratamento devem começar fazendo um cadastro na Asseama. É preciso informar nome, endereço, raça, sexo e idade do bicho de estimação, para, depois, dar detalhes sobre o problema que aflige o animal. Neste momento, a pessoa se compromete a não comer carne nem oferecê-la ao mascote no dia marcado para o tratamento.

Chegando ao centro, o tutor passa por nova entrevista e, em seguida, é encaminhado à sala de palestras. "Esta é a parte mais importante do tratamento. É neste intervalo de reserva e reflexão, quando as pessoas ouvem do palestrante orientações evangélicas, que a equipe espiritual procede ao tratamento dos animais e do tutor", descreve Benedeti.

Após a palestra, que dura cerca de 30 minutos, o animal e o seu acompanhante entram em uma sala onde são submetidos a um tratamento por imposição de mãos durante um minuto. ?Geralmente, pede-se para retornarem depois de algum tempo, que pode ser entre sete a 30 dias".

Serviço

Associação Espírita Amigos dos Animais (Asseama), tel. (11) 2071-2590.

O cachorro, que já devia ter cerca de 12 anos quando foi achado, foi tratado com um veterinário homeopata e, com o tempo, apresentou melhora. Paralelamente ao tratamento, Mário levava Caramelo ao centro espírita.

"A fila do passe depende do estado de saúde do animal. No começo, ele passava na frente. Depois, ele passou a entrar na fila como todos os outros. Antes, eu carregava ele no colo do carro até a sala. No fim, ele já descia do carro sozinho", relembra.

Caramelo morreu em outubro do ano passado, mas Mário não deixou de frequentar o centro. O aposentado é responsável por outros três cães: Judite, que mora com ele, e Pretinho e Branquinho, que moram em uma pet shop mas saem para passear todos os dias com o tutor.

Quem também costuma frequentar o centro é o aposentado Antônio de Andrade, de 81 anos, dono de Diana e Juruna, um casal de fila brasileiro. A fêmea vem sendo submetida a um tratamento veterinário contra câncer há seis meses, período em que também passou a ir ao centro na Zona Norte.

Na semana passada, no entanto, Diana perdeu o movimento das pernas. "Tentei erguê-la, mas não adiantou". Agora, o tratamento espiritual da cadela será à distância. Sim, o grupo espírita também atende, a pedido do tutor, animais doentes que não podem ir até o centro.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Veterinário sugere adoção de cães não populares

Quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Veterinário sugere adoção de cães não populares

Pitoco e o seu criadorFoto: Ronaldo Bernardi

O veterinário José Carlos Sangiovanni, do Centro de Controle de Zoonoses da prefeitura de Porto Alegre, fez um alerta importante. Existem muitos cães que podem ser adotados:

– Tem muitos cães dóceis aqui, mas sem exposição na mídia — disse o veterinário.

O veterinário se refere ao cachorrinho que foi resgatado do Arroio Dilúvio, ontem. O centro de zoonoses recebeu até ligação do Rio de Janeiro para adotá-lo, enquanto muitos outros cães esperam por uma adoção.

O cão foi batizado pelo seu tratador de Pitoco. Conforme a reportagem de Zero Hora, Pitoco ainda passará por exames mais detalhados nesta quinta-feira.

Enquanto isso, as pessoas que comparecerem ao centro devem adotar outro animal. A vantagem é que eles já estão vacinados e em boas condições de saúde, segundo o profissional.

O cão ainda não será doado e ficará por observação por mais alguns dias.

Eu também faço um apelo. O Pitoco certamente será adotado por uma pessoa muito especial, afinal, há uma grande exposição deste caso. Mas, existem milhares de outros cães tão bonitinhos e carinhosos como ele – mas não tão populares – que precisam de um lar. Inclusive publicamos diariamente anúncios de adoção aqui no Bicharada. Adote!

Link para o Blog Bicharada de Paula Sperb

http://www.clicrbs.com.br/blog/jsp/default.jsp?source=DYNAMIC,blog.BlogDataServer,getBlog&pg=1&template=3948.dwt&tipo=1&section=Blogs&p=1&coldir=2&blog=43&topo=3994.dwt&uf=2&local=18

Roberta Palmari
Esquadrão Pet

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Cães abandonados terão chip na Capital

Cães abandonados terão chip na Capital

A partir de março, prefeitura adotará medida para controlar zoonoses

Um chip do tamanho de um grão de arroz poderá ajudar a encontrar cães abandonados e controlar zoonoses na Capital. A partir de março, os animais que chegarem ao Centro de Controle de Zoonoses da Capital deverão receber um implante com o objeto na região dorsal, entre as patas dianteiras.

As pessoas que adotarem os cachorros serão cadastradas no software do microchip. Com um leitor do tamanho de um celular passado sobre o local do implante, o chip será reconhecido e a ficha completa do dono aparecerá no computador, com dados como nome e endereço.


Em vídeo, saiba como funcionará o chip de identificação de animais

A medida servirá para que os responsáveis pelos bichos sejam identificados mais facilmente e, em caso de maus-tratos ou negligência, recebam a cobrança legal devida. Se a tecnologia já estivesse em uso, casos como o do cão que ficou preso por pelo menos três dias no Arroio Dilúvio poderiam ser mais fáceis de resolver. O dono seria avisado e, ao buscar o mascote, receberia um auto de infração por deixá-lo em via pública.

O circuito, fabricado em São Carlos (SP), fica dentro de uma cápsula de vidro de 2,2 milímetros por 12,2 milímetros encoberta por uma película antimigratória, que impede o chip de mudar de lugar no corpo do cão. A inserção é subcutânea, feita com uma agulha um pouco maior que o normal, segundo o veterinário José Carlos Sangiovanni, do Centro de Zoonoses. O estoque do centro tem 5 mil chips, que devem durar até 2010. Cada um deles, incluída a injeção, sai por R$ 15 – o custo é arcado pela Secretaria Municipal da Saúde, informou Sangiovanni.

– Todos os cães doados (pelo centro) recebem vacina contra raiva, desvermifugação e, a partir de março, terão os chips implantados – disse.

No futuro, a intenção é que todos os cães da cidade tenham identificação. Isso será possível com a obrigatoriedade legal aos donos para que façam o implante nos animais – neste caso, em clínicas veterinárias. O maior controle ajudaria também na identificação e prevenção de doenças. Somente até agosto de 2008, foram feitos 2.583 atendimentos antirrábicos na Capital.

No Estado
> Um projeto de lei que torna o implante obrigatório a todos os donos de cachorros deve ser protocolado na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul até o final do primeiro semestre.
> De autoria do deputado Carlos Gomes (PPS), o projeto ampliaria o cadastramento para todo o Estado. Segundo o parlamentar, é uma proposta “de saúde pública, que serve para contagem populacional e para identificar os proprietários”
> Em um exemplo da importância da medida, um surto de raiva poderia ser combatido com mais eficácia se os cães tivessem chips. Sabendo da localização dos animais, seria mais rápido e fácil encontrá-los para vacinação ou verificação de focos da moléstia, diz o coordenador da vigilância ambiental de zoonoses do governo do RS, Celso dos Anjos

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Pelas Ruas: cão resgatado no Arroio Dilúvio é encaminhado a veterinários

Pelas Ruas: cão resgatado no Arroio Dilúvio é encaminhado a veterinários

Cachorro ficará em observação por quatro dias no centro de zoonoses da prefeitura

Atualizada às 12h44min

O cachorro que estava preso no Arroio Dilúvio, em Porto Alegre, foi resgatado na manhã desta quarta-feira pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado a veterinários da prefeitura. O animal estava há pelo menos três dias no local — entre a passarela da PUCRS e a Rua Professor Cristiano Fischer —, de acordo com Renato Crestani, 37 anos, que trabalha ali perto. O cachorro ficava sobre um banco de areia, andando para lá e para cá. Pulava na água e nadava para tentar escapar. Ao mesmo tempo, gania.

A equipe de bombeiros enviada à área do arroio recebeu o pedido de salvamento às 8h50min. Em sete minutos, segundo o comandante do grupo, soldado Julio Cesar Souza Nunes, o caminhão chegou ao local. Nunes e os soldados Rubens Marcelo Flores da Cruz (auxiliar) e Claudionor de Bastiani Fraga (motorista) entraram no arroio. No banco de areia, foram se aproximando aos poucos do cão.

— Ele estava muito estressado, tentou me morder duas vezes. Mas aí a gente vai conversando, se aproximando, fazendo carinho. Até que deu pra pegar ele — relatou Cruz, que ganhou a confiança do animal e o tomou nos braços.

O trabalho de retirada do cão levou entre 20 e 25 minutos. Magro, molhado e cansado, ele foi transportado até o centro de zoonoses da prefeitura da Capital, na Estrada Bérico Bernardes (em Viamão), onde passaria por exames. Aparentemente, não tinha machucados, segundo Nunes.

Experiência

Calejado por quase 20 anos de trabalho como bombeiro, o soldado Cruz se apoiou na experiência para conquistar a confiança do cão perdido em meio às águas do Dilúvio.

— Já passei por diversas situações. Uma vez, retiramos um cachorro de um bueiro na Avenida Bento Gonçalves. Isso acontece toda semana, com cães, cavalos. Eles caem ou são abandonados mesmo.

Clique para ver o vídeo do resgate:



Em observação

O cachorro resgatado ficará em observação por quatro dias no centro de zoonoses, conforme o chefe substituto do Núcleo de Vigilância de População Animal, Jessé Xavier de Oliveira. No caso de ter bebido água ou Dilúvio ou se alimentado ali, pode ter se contaminado. Ele receberá vacina antirrábica e contra vermes.

No final da manhã de hoje, o cachorro estava sendo alimentado com ração. Depois do período de isolamento, será colocado no canil, junto com cães do mesmo porte, e ficará disponível para adoção. Antes dos quatro dias de isolamento, é preciso pagar uma taxa de R$ 22,24 para adotar. Depois, é gratuito.

Interessados em levar o cachorro podem ligar para 3446-8500 ou 3446-7517. Na retirada, é preciso levar a carteira de identidade. O centro funciona das 9h30min às 11h30min e das 13h30min às 16h30min, de segunda-feira a sexta-feira. Quem encontrar algum animal na mesma situação do cão resgatado hoje deve ligar para os bombeiros, no número 193.

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Vivi, a miau que fala inglês!!!!FALECEU


Hello, everybody!!!!!!!!!!!!!

Me chamo Vivi porque gostei do colinho da Viviane lá da clínica do Vet Pedro.Mas a minha história é um pouco triste, estão preparados pra ouví-la?
Pois bem, fui encontrada pela minha avó Jeanete.Estava panfleteando em frente a uma escola de inglês, na Rua Guilherme Alves, e a cada humano que passava, eu ia atrás oferecendo um pouco do meu carinho e pedindo um pouco de comida.Estava magrinha, sequinha, minha avó ficou impressionada com a minha barriguinha que os lados poderiam se juntar e formar uma única coisa.Mas mesmo assim, eu fiquei firme, e alegre correndo atrás de quem passava, panfleteando carinho, miados e implorando por uma casa.
Claro, minha avó apiedou-se de mim e começou a me dar comida.Comia sofregamente, sem pensar.Engolia tudo.Me abrigava nesta escola de inglês.Até que um dia minha avó ouviu uma pessoa falar que com certeza, depois do feriado, assim que a escola abrisse, iriam dar um fim pra mim.Iriam me levar pro czz.
Levamos um choque.Mas porque isso?Que fiz para merecer um final tão triste, logo eu que queria só um lar, uma caminha quente, um pratinho de comida e dar muito carinho e rom-rom.Sim, porque é só me chamar que eu vou correndo, tal qual um cachorrinho.Não sou uma gatinha que tem beleza física, sou tricolor, tipo casco de tartaruga, mas sou muito dócil, carinhosa, dengosa, não mordo, e mio bem baixinho.Quando alguém me pega no colo, eu logo ligo o motorzinho!!!!!!!!

Olhem como sou dengosa!!!!!!!!!!!

Vera Snif Pet


segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Snoopy adotado


Pessoal
É com imensa satisfação e uma grande alegria no coração, por ter a certeza de ter feito a coisa certa e ter escolhido a melhor família para o Snoopy, que eu comunico a adoção dele pela Eliana e pelo Maykell.
Agora ele vai morar num apartamento maravilhoso, com um pátio super gostoso, com bastante comida, água, carinho e será filho único.O "pai" do Snoopy disse que era o filho que eles estavam esperando.Fazia dois anos que eles estavam tomando esta decisão de adotar um cãozinho e a decisão de adotar o Snoopy foi muito bem pensada.Eles estavam já esperando por ele, assim como se espera por um bebê!!!
Sua "mae", a Eliana, contou que agora terá seu companheirinho para os finais de semana, quando seu marido viajar a trabalho, isso porque seu marido é cantor, compositor de músicas tradicionalistas gaúchas.Vão passear pelo gasômetro.
Enfim, são duas pessoas super calmas, gentis e amorosas que amaram o Snoopy, mesmo antes de conhecê-lo, que já tem até outro nome escolhido, e que prometeram amá-lo e cuidá-lo até o fim de sua vida.
Valeu a pena ter entrado aquele dia no ônibus, e ter me agarrado a ele, mais ainda de ter cuidado dele, de ter castrado, vacinado, vermifugado e tirado todos aqueles milhares de carrapatos que se agarravam nele, assim como ele se agarrava em mim.Tive a sensação que Deus me deu a missão certa, salvar, proteger, sofrer, mas também ter as suas compensações.
Compartilho então, com todos, mais uma missão cumprida!!!!!
Valeu!!!!!!!!

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Snoopy, indefeso cãozinho preto, de +- 8-9 meses, que invadiu 1 ônibus de linha cheio, em plena tarde de janeiro e pulou no colo de 1 moça






























Olá, me chamo Snoopy, tenho + ou - 8-9 meses.Fugi de casa ontem, dia 05 de janeiro de 2009.Estou ficando adolescente e fui a procura de aventura.Meus pais não viram quando fugi.Saí pelas ruas, pulando e correndo atrás das borboletas, e achando maravilhosa esta minha aventura.Era tanta coisa pra se ver, nunca tinha saido de casa antes, tinha tanta gente...no começo achei legal, mas com o tempo fui sentindo sede e fome.Me afastei tanto que com a pouca experiência que tenho, e meu faro de adolescente, me perdi fácil.Entrei em pânico, senti que tinha feito bobagem.Bem, decidi procurar ajuda, quem sabe alguém me levava de volta pra casa? Foi ai que tive a idéia de fazer assim como a minha mãe humana faz todos os dias:pegar um ônibus.E foi o que fiz!!! Causei pânico no coletivo, todos queriam me escurraçar, e eu não sabia porquê.Eu só queria voltar pro meu cafofo...Corri por dentro do carro.Estava cheio...Havia alguns passageiros que pensaram que fosse assalto.Passei pelas pernas de muita gente, até que senti um cheirinho de aconchego.Olhei pra aquela moça loira, de óculos e senti que ela poderia me ajudar.De súbito pulei no colo dela e me abracei no seu pescoço.Ela levou um susto danado, não imaginava.Mas me agarrou com tamanha delicadeza e foi me acalmando.Viajamos juntos, abraçados sob o olhar piedoso de uns e sobressaltado de outros.Chegamos até a parada dela.Estava calmo, tranquilo.Ela me levou para um banho dos Deuses.Eu estava crivado de carrapatos.Compramos uma guia linda, em tons de azul.Eu logo me apaixonei por ela.Pensei, será que ela vai me levar pra casa?
Depois disso veio a decisão fatal, nos apaixonamos um pelo outro e decidimos que ela ficaria comigo se eu não conseguisse um lar.
Foi ai eu fui levado para o Vet Pedro , para ele me dar um outro banho medicinal para terminar de retirar todos os carrapatos, acredita que ficou ainda alguns carrapatos? Vou ser vermifugado, vacinado e castrado.Acredito que em 10 dias no máximo estarei prontinho para ser adotado.
Eu amo crianças, não posso escutar a voz de uma criança e logo procuro ver de onde vem.Sou de porte pequeno para médio.Peso 9 kilos.Não tenho um pontinho branco, a não ser o terceiro olho que me deram na pet shop, quando fui tomar banho(hehehe).Sou brincalhão e alegre, muito alegre.Não lato e não choro, a não ser quando a minha mãe me deixou lá no tio Pedro , ai sim, eu chorei muito.
Se alguém gostar de mim, e tiver filhos pequenos, e quiser me adotar, escreva pra minha mãe: snifpet@gmail.com, Vera é o nome dela.
Assinado,
Snoopy